• (47) 3027-4588

Blog

Dicas e novidades sobre Pneumologia

Fibrose Pulmonar: conheça os sintomas, as causas e o tratamento

Fibrose Pulmonar - Clínica Nogueira Joinville

Falta de ar, tosse seca, cansaço, perda de peso progressiva e sem explicação. Esses são apenas alguns dos sintomas da fibrose pulmonar. A doença que tem atingido principalmente os pacientes vítimas de covid, desde que a pandemia começou.

A doença crônica, em geral, é desenvolvida como sequela de outras doenças pulmonares. A fibrose pulmonar pode levar à perda gradual da função dos pulmões, fazendo com que o paciente perca qualidade de vida.

Apesar de exigir atenção redobrada, é possível tratar e conviver com a doença.

O que é fibrose pulmonar?

A fibrose pulmonar é uma doença crônica, que surge como sequela de outras doenças, que destroem a arquitetura do pulmão de forma progressiva e irreversível. As doenças que podem levar a uma fibrose pulmonar são covid-19, dermatomiosite, polimiosite, doença mista do tecido conjuntivo, artrite reumatóide, lúpus, pneumonia, entre outras.

A relação entre elas se deve ao fato de causarem inflamação na parte terminal dos pulmões e serem doenças intersticiais pulmonares (DIP). Com isso, causam a fibrose pulmonar. A doença se caracteriza por substituir o tecido natural do pulmão por tecido cicatricial. Como consequência, o paciente apresenta dois principais sintomas:

  • falta de ar progressiva;
  • tosse seca e frequente.

As doenças intersticiais pulmonares (DIP) são causadas por alguns fatores, como poeiras inorgânicas ou pneumoconioses, poeiras orgânicas, pneumonia de hipersensibilidade, uso de drogas, doenças reumáticas ou doenças pulmonares de origem desconhecida.

Para identificar a fibrose pulmonar, o médico se baseia no histórico clínico do paciente. Principalmente quando o paciente é exposto ao excesso de fatores inalantes que podem lhe causar lesões pulmonares. Após pedir uma tomografia, o especialista vai observar as alterações no estudo da célula ou do tecido alveolar.

 

O que pode causar fibrose pulmonar, entenda:

Além dos sintomas acima, a doença pode ser desencadeada por outros fatores. Se o paciente tem contato frequente com alguns fatores ambientais ou ocupacionais, como poeira sílica, fibras de amianto, pó de metal, grãos ou carvão etc. Há também as seguintes situações:

Pacientes de radioterapia

Pacientes oncológicos, que passam por radioterapia frequente, podem apresentar sinais de lesão pulmonar até anos após o início do tratamento. Alguns casos são mais graves do que outros e o que determina isso é quanto o pulmão é exposto à radiação, quanto de radiação é administrada, se a quimioterapia foi administrada e se havia doença pulmonar não manifestada.

Uso de muitos fármacos

O uso de fármacos em quantidade ou dosagem alta, principalmente os indicados para quimioterapia, para o coração, antibióticos, etc., também podem levar a um quadro de fibrose pulmonar.

Doenças

Doenças como dermatomiosite, polimiosite, artrite reumatóide, lúpus, esclerodermia, pneumonia, entre outras, estão diretamente relacionadas com casos de fibrose pulmonar.

Fatores de risco para fibrose pulmonar

Identificar a causa nem sempre é possível. No entanto, alguns fatores podem aumentar as chances do paciente desenvolver a doença. Veja quais são os principais a seguir:

  • Idade: bebês e crianças já foram identificados com fibrose pulmonar, mas a maior parte dos casos envolvem adultos de meia idade e idosos;
  • Gênero – a fibrose idiopática afeta mais homens do que mulheres;
  • Tabaco – o cigarro é um dos principais fatores de risco para fibrose pulmonar. As chances de pessoas fumantes desenvolverem a doença é muito maior do que em pessoas que nunca fumaram;
  • Profissão – a fibrose pulmonar é muito comum em pessoas que trabalham em mineração, agricultura ou construção civil, além de pessoas expostas a poluentes;
  • Tratamentos com radiação – a radioterapia, usada em tratamentos contra câncer e medicamentos quimioterápicos aumentam os riscos do paciente desenvolver fibrose pulmonar;
  • Genética – alguns tipos de fibrose pulmonar são comuns entre familiares e fatores hereditários podem aumentar as chances do desenvolvimento da doença.

A fibrose pulmonar tem cura?

A fibrose pulmonar não tem cura, pois uma vez que o pulmão está lesionado, não há como reverter. Até hoje, nenhum tratamento que mostrasse resultados positivos para a reversão da doença. Por outro lado, existem terapias e tratamentos que ajudam a evitar que a doença avance rapidamente. Além disso, é possível aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente substancialmente.

Quais são as opções de tratamento para fibrose pulmonar

O pneumologista vai avaliar o caso do paciente a partir dos sintomas apresentados, resultados dos exames realizados e outras avaliações solicitadas. Com base em todas essas informações, além do histórico do paciente, ele poderá indicar o tratamento mais adequado para cada caso. Entre as possibilidades estão:

Uso de medicamentos

O uso de medicamentos pode ajudar a retardar a progressão da doença, mas alguns remédios podem causar efeitos colaterais. Por isso, é importante que o paciente pergunte sobre eles para se preparar e conseguir evitar outro tipo de reação ou mal estar.

Reabilitação pulmonar

A reabilitação pulmonar é um tipo de fisioterapia que ajuda a melhorar a função do pulmão, aliviando os sintomas, prevenindo complicações e melhorando a qualidade de vida. No tratamento fisioterapêutico, o paciente vai usar técnicas de respiração que ajudam a melhorar a eficiência pulmonar, fazer exercícios físicos para melhorar sua resistência e fazer acompanhamento nutricional.

Oxigenoterapia

A oxigenoterapia ajuda a melhorar a respiração, prevenir ou diminuir as complicações causadas pelos baixos níveis de oxigênio no sangue, reduzir a pressão sanguínea, melhorar o sono e a sensação de bem-estar.

Transplante de pulmão

No transplante, o paciente recebe o pulmão de um doador, que vai proporcionar uma qualidade de vida maior e aumentar a sua média de vida. Porém, esse tipo de tratamento não pode ser aplicado em todos os casos e também pode causar outras complicações, como a rejeição ou infecção do pulmão.

Mudanças no estilo de vida

Além de seguir alguns tratamentos, é fundamental que o paciente adote mudanças em seu estilo de vida, como:

  • para de fumar;
  • adotar uma dieta rica em nutrientes
  • fazer exercícios físicos;
  • descansar e ter boas noites de sono;
  • tomar vacinas para evitar infecções respiratórias, como pneumonia.

O paciente que seguir um plano de tratamento indicado pelo pneumologista e adotar um estilo de vida mais saudável, é capaz de viver bem com a fibrose pulmonar, aumentando sua expectativa de vida.

Está sentindo os sintomas da fibrose pulmonar? Agende uma consulta, vamos conversar.

Escrito por: Dr. Carlos Nogueira – Pneumologista – CRM 23539 | RQE:14290

 

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

VEJA TAMBÉM