Fibrose Pulmonar

A fibrose pulmonar é uma doença crônica e não infecciosa. É caracterizada pelo endurecimento e redução do tamanho dos pulmões, provocados pelo aparecimento de cicatrizes (fibroses) no tecido pulmonar. A rigidez dos pulmões dificulta as trocas gasosas, causando falta de ar. 

A doença avança de forma progressiva e lenta, na maioria dos casos. No entanto, pode ser mais rápida para algumas pessoas. Ocorre com mais frequência em homens entre 60 e 70 anos.

Os principais sintomas são:

  • Dificuldade de respirar ao realizar qualquer tipo de esforço,
  • Tosse seca que não passa durante meses,
  • São mais raros os casos que apresentam febre, fadiga, dor muscular e dor articular,
  • Pode apresentar cor azulada nas extremidades, como as pontas dos dedos, por conta da baixa oxigenação.

Causas

As causas da fibrose pulmonar são diversas e nem sempre são identificadas. São conhecidos os fatores de risco:

  • Tabagismo
  • Histórico familiar
  • Exposição a pedra, metal, sílica, pó de vidro, amianto, madeira, fertilizantes, feno e poeira orgânica
  • Exposição a mofo, fungos e bactérias
  • Doença do refluxo gastroesofágico
  • Uso de medicamentos, como amiodarona (para tratar arritmia) e quimioterápicos (para o câncer)
  • Preexistência de doença intersticial pulmonar, lúpus e artrite reumatóide

Tratamento para fibrose pulmonar

O diagnóstico envolve exame clínico, histórico do paciente, exames de tomografia computadorizada do tórax. Podem ser feitos exames de sangue e biópsia do tecido pulmonar, em casos especiais. 

Não é possível reverter o quadro, portanto, não tem cura. Mas existe tratamento para fibrose pulmonar, para reduzir sintomas, melhorar a capacidade pulmonar e aumentar a qualidade de vida.

As medidas variam conforme os sintomas e gravidade da doença. A principal medida é se afastar do agente causador. O controle nutricional é importante para manter a saúde e as defesas do organismo.

Entre os medicamentos usados, o pneumologista pode prescrever:

  • Remédios corticoides, como a prednisona;
  • Imunossupressores, para aliviar a falta de ar;
  • Acetilcisteína, para retardar o desenvolvimento da fibrose pulmonar, quando associado aos remédios corticoides.

Outra medida envolve o uso de oxigênio em casa, para dormir ou realizar atividades rotineiras, como limpar a casa. Em casos mais graves, pode ser necessário o transplante de pulmões.