• (47) 3027-4588

Bronquiectasia

A bronquiectasia é uma dilatação permanente das vias aéreas, provocada por lesões frequentes nas paredes dos brônquios. É uma condição irreversível, ou seja, não tem cura. O tratamento envolve aliviar os sintomas, evitar a piora e melhorar a qualidade de vida do paciente. 

A pessoa que tem bronquiectasia geralmente convive com outras condições clínicas associadas, como pneumonia, fibrose cística, enfisema pulmonar, síndrome dos cílios imóveis (ou Kartagener), entre outras.

Causas

O sistema de defesa das vias aéreas é composto por cílios minúsculos e uma camada de muco. Num organismo saudável, as bactérias ou substâncias indesejadas são envolvidas pela secreção e levadas pelos cílios até a garganta. Dali, são engolidas ou expelidas com a tosse. 

Quando há a bronquiectasia, existe a produção excessiva de muco e os cílios estão danificados, o que provoca o alargamento constante dos brônquios. Nesse contexto, as principais causas da doença são:

  • Infecção bacteriana recorrente
  • Fibrose cística
  • Obstrução dos brônquios
  • Pneumonia
  • Sistema imunológico debilitado
  • Enfisema pulmonar
  • Asma
  • Artrite

Tratamento para bronquiectasia

O tratamento deve ser iniciado logo após a sua detecção. É identificada por meio de radiografia, tomografia da região torácica, testes de capacidade pulmonar ou exames mais específicos.  

As principais abordagens no tratamento para bronquiectasia envolvem:

  • Antibióticos para tratar as infecções;
  • Inalatórios (broncodilatadores ou corticóides) para facilitar a passagem do ar;
  • Mucolíticos para reduzir o volume de secreção.

Pode ser indicada também a fisioterapia respiratória. Em casos mais graves, faz-se uma cirurgia para a retirada de parte do pulmão.

A vacinação é muito importante para prevenir possíveis infecções associadas à bronquiectasia.